ADVERTÊNCIA AOS ADMINISTRADORES, DETENTORES DE CARGOS DE ADMINISTRADOR NO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL.

Foto em Destaque: 

Atualmente, se trabalha pela extinção ou esvaziamento do cargo de Administrador no serviço público federal. Senão vejamos:  os concursos públicos ultimamente realizados, pouco ou quase nada ofertam de vagas para Administrador.

Os cargos isolados de provimento efetivo dos órgãos do serviço público federal estão cada vez mais ameaçados de acabarem, exceção, é claro aos cargos de: III – Diplomacia; IV – Magistério; V - Polícia Federal; VI - Tributação, Arrecadação e Fiscalização, segundo a classificação da Lei nº 5.645/70.

 

O cargo de administrador é o mais ameaçado, aliás, desde a sua criação em 1965, com o advento da lei 4.769. Nesse diploma legal, já se trabalha contra o cargo de Administrador no serviço público, permitindo-se inclusive divisão de suas atribuições com outras profissionais de nível superior, constituindo uma verdadeira invasão das atribuições do administrador, de forma oficializada e legalizada.

Já houve a tentativa da aglutinação de cargos, onde literalmente ocorre a extinção do cargo e passa-se a uma denominação genérica que engloba vários outros cargos, com profissionais com atribuições divergentes e até sem atribuições.

Agora predomina nas estruturas de alguns órgãos da administração federal a figura do cargo de ANALISTA TÉCNICO ADMINISTRATIVO (ATA) que é nada mais nada menos que uma espécie de aglutinação de cargos utilizando-se as atribuições do administrador para dar vida funcional a outros profissionais que não tem atribuições específicas. Os concursos para estes cargos são cada vez mais frequentes.

Cabe aos administradores ficarem alertas contra esta ameaça que paira sobre a nossa categoria profissional, pois quando nas reformas e reestruturações de órgãos, costumam aproveitar a ocasião para criar planos de cargos novos, oferecendo pseudo vantagens pecuniárias, onde geralmente apresentam cargos genéricos que englobam outros sob nova denominação ficando o detentor de cargo regulamentado por lei, o administrador por exemplo, sem proteção legal para o exercício das atribuições que lhes são inerentes.

Só resta-nos Administradores servidores públicos ficarmos atentos para defender os nossos interesses e lutarmos para que a categoria seja fortalecida, para tanto precisamos mostrar a cara e dizer a que viemos como profissionais de administração.

A ASBADM-BR congrega as ASBADM regionais, cada estado brasileiro está representado para defesa dos interesses dos Administradores servidores públicos (federais, estaduais, municipais). Se você é administrador servidor público e está interessado em fortalecer a categoria venha juntar-se a nós.

 

Adm HUMBERTO DUARTE

Presidente da ASBADM